Evitar o desgaste do material rodante [Parte 2]

Material rodante - 11/05/2021

Carga e materiais abrasivos: como gerenciá-los para prolongar a vida útil do material rodante

Como referimos no artigo anterior, os custos associados à manutenção do material rodante durante a vida útil da máquina podem chegar até 50% dos custos totais. O desgaste de seus componentes, devido a tensões e agentes externos, é um processo inevitável. No entanto, um bom gerenciamento da máquina permite uma economia considerável em termos de custos de manutenção e aumento da produtividade.

Na última publicação, introduzimos o tema da prevenção do desgaste do material rodante, falando em particular dos hábitos incorretos no uso de máquinas, tais como velocidade excessiva. Da mesma forma, 2 outros fatores que podem afetar o desgaste, mas que podemos controlar para prolongar a vida útil do material rodante e aumentar sua eficiência: 

  1. a carga 
  2. a presença de materiais abrasivos.


Os principais fatores de desgaste relacionados com a carga

Tensão excessiva da corrente

Representa o fator controlável que tem o maior impacto sobre o desgaste do material rodante. Manter as correntes das esteiras excessivamente tensionadas em relação às condições de trabalho da máquina também contribui para aumentar o desgaste do diâmetro externo da bucha. Estima-se que este desgaste seja entre 50% e 75% mais rápido quando as correntes não estão corretamente reguladas.

Largura excessiva da sapata


ITR_Usco_desgaste_largura_da_sapata


Adotar
sapatas mais largas do que o necessário, para permitir a flutuação da máquina, pode afetar gravemente a vida útil do material rodante. A tensão sobre os componentes da corrente é, de fato, proporcional à largura da sapata. Por exemplo, uma sapata de 36" produz até 50% mais tensão do que uma sapata de 24" e uma tensão excessiva pode causar rupturas. Além disso, uma largura excessiva da sapata:

  • compromete a estabilidade da corrente; 
  • influencia o torque de aperto dos parafusos de fixação da sapata;
  • determina perdas prematuras de óleo nas correntes lubrificadas;
  • reduz a manobrabilidade e a versatilidade da máquina.

Em qualquer caso, as máquinas LPG podem operar usando sapatas largas. Isto porque, nas condições do solo em projeto, o peso da máquina é distribuído de maneira mais uniforme por toda a largura da sapata.

Peso excessivo da máquina

Um peso excessivo da máquina, por exemplo, incrementado pelo equipamento não necessário para a operação da máquina, aumenta a carga sobre o material rodante, aumentando o risco de desgaste prematuro. Para o evitar, é necessário não sobrecarregar a máquina e não adicionar peças que não sejam estritamente necessárias.

Desalinhamento dos componentes

ITR Usco Desalinhamento dos componentes

O desalinhamento dos componentes do material rodante que estão em contato entre si leva a uma taxa de desgaste desequilibrada e acelerada. Não é por acaso que qualquer diferença de desgaste entre a parte esquerda e direita, dianteira e traseira, dentro e fora, a menos que esteja relacionada com o tipo de trabalho ou uso da máquina, se deve muitas vezes ao alinhamento inadequado entre o chassi, a roda livre e a roda motriz. Quanto maior e mais pesada for a máquina, maior será o risco de desalinhamento dos componentes.
Um dos fatores que contribui para um maior desalinhamento é a tensão excessiva das correntes das esteiras, de que falamos anteriormente, pois aumenta a carga sobre as partes que interagem.
Portanto, é necessário corrigir o alinhamento inadequado antes de instalar o novo material rodante. Mas como detectar este fenômeno? Em geral, para verificar visualmente o desalinhamento, deve-se prestar atenção ao desgaste dos roletes inferiores das esteiras.


Alavancagem na roda motriz durante as operações de escavação (um dos hábitos de uso incorretos mais comuns ao usar escavadeiras)

Ao usar escavadeiras, este hábito incorreto acrescenta uma carga dinâmica excessiva na roda motriz (a máquina tende a estremecer) que, por sua vez, pressiona as buchas causando danos estruturais precoces nas buchas e em outras partes do material rodante envolvidas.

 

Presença de materiais abrasivos externos

ITR_Usco_desgaste_materiais_abrasivos_externos

 

Limpeza da máquina

No final de cada dia de trabalho, os operadores devem dedicar tempo para limpar a sujeira e os detritos que se acumulam no material rodanteSe as esteiras estiverem cheias de detritos, a máquina funcionará com mais esforço, desperdiçando energia e sobrecarregando a máquina, o que encurtará a vida útil do material rodante. Isto é mais crítico em regiões onde o clima é frio e a lama, a sujeira e os detritos tendem a congelar. 
Um agravamento adicional resultante da sujeira da máquina é o desgaste acelerado dos dentes da roda motriz e da parte externa das buchas das correntes devido ao contato incorreto entre esses elementos. Os roletes também podem sofrer com esta condição, até o ponto de se bloquearem. Isto se nota quando aparecem zonas planas nas superfícies das pistas. 
Por fim, a presença de lama ao longo do tempo cria camadas adicionais de material nas partes do material rodante, criando uma tensão excessiva nas correntes e assim, aumentando o desgaste. No processo de limpeza podem ser usadas pás e máquinas de limpeza a jato. Preste atenção a estas últimas! O fluxo nunca deve ser direcionado para as tampas das correntes lubrificadas, caso contrário há o risco de movê-las do seu alojamento nos pinos e extraí-las com consequente perda de óleo das juntas. 

Além do gerenciamento de fatores controláveis como velocidade e maus hábitos no uso da máquina, carga e presença de abrasivos externos, há outras boas práticas a serem seguidas para evitar o desgaste prematuro do material rodante: falaremos sobre elas em breve em uma nova publicação.

 

Autor do conteúdo

CARLO BELLINI ITR Usco
Carlo Bellini
Product Support & Quality Manager – Undercarriage Division Entre em contato comigo

Escreva para o autor
loading